ESTATUTO

ACADEMIA BRASILEIRA DE NEUROCIRURGIA - ESTATUTO

CAPÍTULO I
SEDE E FINALIDADES

Art.1º - A Academia Brasileira de Neurocirurgia - aqui também denominada ABNc - fundada em 18 de outubro de 1974 é uma Associação Civil de caráter científico, sem finalidades lucrativas, com foro e sede na cidade do Rio de Janeiro, à Rua da Quitanda, n. 159 - 10º andar - Centro – Rio de Janeiro-RJ, CEP 20091-005, onde funcionará a Secretaria Permanente da entidade.

Parágrafo único- A Academia reconhece a "World Federation of Neurosurgical Societies" como órgão associativo máximo da Neurocirurgia Mundial, considerando e respeitando seus critérios de legislação e organização.

Art.2º - A Academia Brasileira de Neurocirurgia tem por finalidades:

a) Contribuir para o desenvolvimento e progresso da Neurocirurgia e ciências correlatas como também de assuntos de interesse geral, preferencialmente ligados à profissão e ensino médico e pesquisa;
b) Apresentar sugestões, solicitar providências e colaborar com as autoridades oficiais competentes em beneficio da Saúde Pública;
c) Responder às consultas das autoridades constituídas;
d) Patrocinar e colaborar na realização de reuniões científicas da especialidade sob forma de congressos, jornadas, cursos de educação continuada e etc;
e) Promover intercâmbio com os diferentes centros de Neurocirurgia do Brasil e do mundo;
f) Representar o Brasil junto a organizações estrangeiras de Neurocirurgia.

Art.3º - A ABNc, quando possível, fará concessão de prêmios e trabalhos científicos na especialidade, sob forma de diplomas, bolsas de estudo, medalhas ou dinheiro.

Art.4º - O Patrimônio da Academia Brasileiro de Neurocirurgia será constituído por:
a) Bens móveis e imóveis;
b) Doações e Legados;
c) Valores, bens e direitos que lhes forem atribuídos;
d) Valores advindos de taxas pagas por seus Membros.

Art.5º - Constituem fontes de recurso para manutenção da Academia:
a) Contribuições dos Acadêmicos e as anuidades ou semestralidades fixadas anualmente pelo Conselho Deliberativo;
b) Contribuições resultantes de Taxas e Inscrições nos Congressos, Reuniões Científicas e cursos patrocinados pela Academia;
c) Montantes resultantes de doações ou legados e os produtos de operações e rendas de bens patrimoniais;
d) Subvenções oficiais.

CAPÍTULO II
DOS MEMBROS

Art.6º - A ABNc é constituída das seguintes categorias de membros também denominados de:
a) Membros Fundadores (MF)
b) Membros Titulares (MT)
c) Membros  Internacionais (MI) Membros Associados (MA)
d) Membros Aspirantes Residentes e Estudantes (MAR)(MAE)
e) Membros Honorários (MH)
f)  Membros Eméritos (ME)
g) Membros Correspondentes (MC)
h) Membros Beneméritos (MB)

Parágrafo único - Os Professores José Ribe Portugal e Elizeu Paglioli são patronos da ABNc.

Art.7º - Membros Fundadores (MF) são os que assinam a Ata de Fundação da Academia, instituída em 18 de outubro de 1974. Os seguintes nomes assinam a referida ata nesta seqüência - José Ribe Portugal, Eliseu Paglioli, Aloísio Mattos Pimenta, Pedro Monteiro Sampaio, Renato Mugiati, Francisco Cota Pacheco Junior, Manoel Caetano de Barros, Renato Tavares Barbosa, Feliciano Pinto, Jose Zaclis, Paulo Mangabeira Albernaz, José Gilberto de Sousa, Francisco M. Guerra Terra e compõem às 13 (treze) cadeiras da ABNc.

Art.8º - São Membros Titulares (MT) os Neurocirurgiões que preencham as seguintes condições:
a) Exerçam a especialidade no Brasil;
b) Tenham concluído a residência médica em serviço credenciado;
c) Requeiram sua admissão ao Conselho Deliberativo mediante a apresentação do currículo, indicação de três (3) membros titulares e que sejam aprovados.

Art.9º - A Academia poderá admitir como Membros Internacionais (MI) e Membros associados (MA) que exerçam especialidades relacionadas com a Neurocirurgia e que preencham as condições exigidas nas letras a, b e c do art. 8º.

Art.10 - São Membros Aspirantes (MA) os residentes em neurocirurgia em serviço reconhecido, que o requeiram e sejam aprovados pela Secretaria Permanente. Estudantes de área médica  serão considerados Membros Aspirantes Estudantes (MAE). O Membro Aspirante é temporário (é admitido por tempo determinado) e mediante comprovação, deverá ser transferido para Membro Titular ao concluir o curso e a residência.

Art.11 - Os Membros Honorários (MH), em número de dez (10), em caráter vitalício, serão escolhidos entre as maiores autoridades neurocirúrgicas mundiais, residentes fora do país, proposto por no mínimo 3 (três) Membros Titulares e aprovados pelo Conselho Deliberativo "ad referendum" da Assembléia Geral.

Art.12 -  Serão Membros Eméritos (ME) os Membros Titulares da ABNc que completarem 70 anos e o solicitarem e receberem a aprovação do Conselho Deliberativo. Neste caso, não pagarão anuidades. Terão voz, mas não terão voto.

Art.13 - São Membros Correspondentes (MC) os neurocirurgiões estrangeiros que tenham se distinguido por sua contribuição à neurocirurgia mundial ou à Academia Brasileira de Neurocirurgia. Estes poderão ser apresentados por qualquer membro, serão escolhidos pelo Conselho Deliberativo e aprovados em Assembléia Geral Ordinária. Terão todos os direitos exceto votar e ser votado. Não tem obrigação financeira de qualquer espécie com a ABNc.

Art.14  - A ABNc poderá conceder título de Membro Benemérito(MB) a pessoas físicas ou jurídicas que concorram com atos ou doações para engrandecimento ou renome da Academia. Seus nomes deverão ser propostos por no mínimo 3 (três) Acadêmicos Titulares ou Eméritos e aprovados em Assembléia Geral.

Art.15 - Somente os Membros Titulares poderão votar e ser votados. Para ser votado para o cargo de  Presidente  Eleito da ABNc o membro proposto para o cargo deverá estar quite com suas obrigações.

Art.16  - Os Títulos de Patronos das Cadeiras da ABNc são conservados como "Honraria" pelos Acadêmicos que os possuem no momento. Na ausência do acadêmico (Membro Fundador), a cadeira mantém o nome sendo concedida por Mérito a outros acadêmicos.

Parágrafo único - Este título só poderá ser concedidos a Membros Titulares. As propostas fundamentadas e defendidas diante do Conselho Deliberativo por Membros Titulares, se aceitas ainda deverão ser aprovada por maioria em Assembléia Geral Ordinária.

Art.17 - Deixarão de fazer parte da ABNc os membros (acadêmicos) que solicitarem por escrito seu afastamento ou forem excluídos pelo voto de mais de 50% dos acadêmicos presentes à Assembléia Geral Ordinária, após terem praticado atos atentatórios à ética e à dignidade profissionais ou deixarem de comparecer, sem motivo justo a (3) três assembléias consecutivas ou por terem cometido uma das infrações previstas no artigo 18. Serão caracterizados como Membros Afastados.

§ 1º - A decisão de exclusão dos membros da ABNc será proferida somente após instauração de procedimento administrativo, dentro do qual será assegurado amplo direito de defesa ao acusado.

§ 2º - Da decisão de exclusão proferida nos termos do § 1º deste artigo caberá recurso à Assembléia Geral Extraordinária especialmente convocada para esse fim.

Art.18 - São Direitos e Deveres de todos os Membros Titulares:
1)Votar e ser votado, para todos os cargos eletivos de acordo com o que estabelece o estatuto.
2)Utilizar o título de Acadêmico em receituário, publicações médicas e trabalhos científicos.
3)Tomar parte nas Reuniões e Congressos da Academia.
4)Denunciar problemas de lesão da Ética Profissional e requerer providências.
5)Os Membros Aspirantes gozam dos mesmos direitos e deveres, exceto votar e serem votados.

Art.19 - São obrigações de todos os Membros Titulares da Academia:
1) Comparecer às Reuniões e Congressos de caráter Nacional da Academia.
2) Desempenhar as funções que lhe forem atribuídas.
3) Pagar as semestralidades  fixadas e as Taxas de Inscrição das Reuniões a que comparecerem.

Art.20 - Será advertido, censurado, suspenso ou destituído o Membro da Academia que:
1) Proceder contra os preceitos da Ética Profissional.
2) Proceder, na Academia ou fora dela, de maneira indigna, ou incompatível com a dignidade profissional.
3) Deixar de pagar 6 (seis) semestralidades sucessivas sem motivo justificado.
4) Deixar de comparecer a 3 (três) Congressos sucessivos ou Reuniões de caráter Nacional, sem motivo justificado. A proposta de punição, com o devido embasamento documental pode ser feita por qualquer membro ou pela Diretoria em Reunião Conjunta com o Conselho Deliberativo e só terá validade se aceita em votação de maioria pela Assembléia Geral Ordinária seguinte.

CAPITULO III
DOS ÓRGÃOS DIRIGENTES

Art.21 - São órgãos dirigentes da Academia:
1) Conselho Deliberativo
2) Diretoria
3) Secretaria Permanente
4) Assembléia Geral

Art.22 - O Conselho Deliberativo é constituído por 15 (quinze) membros, com mandato de dez (10) anos. A substituição ocorrerá ao termino dos respectivos mandatos na proporção de 50% por indicação do Conselho Deliberativo e 50% por indicação da Assembléia Geral. Havendo necessidade de substituições em número ímpar de membros a diferença de indicações ficará a favor da Assembléia Geral.

§ 1º - Os mandatos dos Membros do Conselho serão de 2,4,6,8,e 10 anos para cada Membro eleito.
§ 2º - O Conselho elegerá dentre os seus Membros o Presidente e o Secretário do mesmo.
§ 3º - O Presidente goza de voto Minerva, além do voto comum.
§ 4º - O Presidente e o Secretário do Conselho Deliberativo poderão ser reeleitos por duas vezes consecutivas para o mesmo cargo em mandatos de 2 (dois) anos.

Art. 23 - São atividades específicas do Conselho Deliberativo:
1) Fixar semestralidades e taxas;
2) Selecionar os temas oficiais dos congressos dentre os indicados pela Assembléia Geral;
3) Compor a Reunião Conjunta com Diretoria.
4) Eleger os membros do Conselho Fiscal durante a realização da Assembléia Geral Ordinária.

DA DIRETORIA

Art. 24 - A Diretoria é constituída dos seguintes Membros:
a) Presidente
b) Vice-Presidente
c) Presidente Eleito
d) Secretário Geral
e) 1o Secretario
f) Tesoureiro
g) Bibliotecário

§ 1º - O mandato da Diretoria será de 2 (dois) anos, ESTENDIDO ou REDUZIDO até a data da Assembléia Geral de posse da nova Diretoria, quando cessarão todos os poderes atribuídos aos seus membros.
§ 2º- A Diretoria deverá organizar os Congressos Científicos que se realizam de 2 em 2 anos.
§ 3º- A sede do Congresso deverá ser no estado em que residir o Presidente respeitando-se o rodízio entre as macro-regiões do Brasil.
§ 4º- O Presidente e o 1º Secretário deverão residir na mesma cidade.
§ 5º - O Presidente designará o 1º Secretário e o Tesoureiro.
§ 6º - O Presidente não é reelegível pelo prazo de 4 (quatro) anos.

Art. 25 - Na Assembléia Geral Ordinária de encerramento o Presidente empossará o  Vice Presidente  no cargo de Presidente e o Presidente Eleito no cargo de Vice Presidente.

Art. 26 - O Presidente a ser eleito o  será pela maioria dos Membros presentes à mesma Assembléia Geral Ordinária.

§ 1º - O Conselho Deliberativo agindo como órgão eleitoral deve indicar o nome do candidato à Presidente Eleito  em reunião prévia.
§ 2º - A indicação do Conselho, formada por maioria de votos, expressa uma decisão de todo o Conselho, representando na Assembléia o número de Conselheiros.
§ 3º - A Assembléia Geral poderá lançar outros candidatos à Presidente Eleito.
§ 4º - A indicação do candidato a Presidente Eleito deverá tomar em consideração as futuras sedes dos congressos científicos.
§ 5º - Os Congressos se realizarão alternadamente nas diferentes macro-regiões do país.

Art. 27 - São atribuições do Presidente:
1) Organizar o Congresso Científico no segundo ano de seu mandato;
2) Dirigir e administrar a Academia no período de seu mandato, de acordo com o estabelecido no Estatuto e no Regimento Interno;
3) Representar a Academia em juízo e fora dele;
4) Defender uma linha de ação política definida em conjunto com o Conselho Deliberativo;
5) Cumprir e fazer cumprir o Estatuto e o Regimento Interno.
6) Fiscalizar a aplicação de verbas na organização e realização do Congresso da Academia e outras atividades cientificas e culturais, durante o período de sua direção;
7) Apresentar ao Conselho Deliberativo relatório das atividades no período de sua gestão dentro do prazo de 90 (noventa) dias, ao final de seu mandato;
8) Assinar com o Secretário Geral os diplomas e títulos expedidos;
9) Autorizar as despesas necessárias à organização do Congresso Científico;
10) Assinar cheques, juntamente com outro Membro da Diretoria, de preferência o Tesoureiro;
11) Resolver os casos omissos, dando posterior ou anterior conhecimento à Secretaria Permanente;
12) Presidir as Assembléias Gerais Ordinárias e as Extraordinárias que convocar;
13) Prestar contas ao Conselho Fiscal ao final de sua Direção.
14) Trabalhar visando o aprimoramento do Estatuto e Regimento Interno e apresentando propostas para sua adequação aos propósitos da ABNc.

Art. 28 - Compete ao Vice-Presidente:
1) Substituir o Presidente em suas faltas e impedimentos transitórios;
2) Realizar as tarefas que forem conferidas pelo Presidente.

Art. 29 - Compete ao 1º Secretário:
1) Secretariar e redigir as Atas das reuniões da Diretoria e da Assembléia Geral Ordinária;
2) Assinar, juntamente com o Presidente, os diplomas e títulos conferidos pela Diretoria;
3) Acumular as funções de Tesoureiro na ausência deste.

Art. 30 - Compete ao Tesoureiro:
1) Tomar conhecimento da situação financeira da Academia no início do mandato da Diretoria e dar conhecimento ao Secretário Geral das condições financeiras ao final do seu mandato;
2) Receber anuidades durante os Congressos Científicos e Cursos;
3) Fazer levantamento da receita e despesas dos Cursos, Reuniões Científicas e do Congresso Médico;
4) Pagar as despesas da Academia relacionadas com o Congresso, Cursos e Reuniões Científicas;
5) Apresentar à Diretoria um planejamento de gastos para aprovação prévia no início da atividade da Diretoria com um balancete anual e balanço geral ao final de seu mandato.

DA SECRETARIA PERMANENTE

Art. 31 - A Secretaria Permanente localiza-se na cidade de Rio de Janeiro e tem como finalidades definidas de centralizar arquivos e a vida administrativa da Academia.

Art. 32 - A Secretaria Permanente será exercida pelo Secretário Geral.
§ 1º - O Secretário Geral será designado pelo Conselho Deliberativo.
§ 2º - O tempo de mandato do Secretário Geral será de 2 (dois) anos, podendo ser reduzido ou renovado pela maioria do mesmo Conselho.
§ 3º - As funções do Secretário Geral serão regulamentadas no Regimento Interno.

DAS ASSEMBLÉIAS GERAIS ORDINÁRIAS E EXTRAORDINÁRIAS

Art. 33 - As Assembléias Gerais são Ordinárias e Extraordinárias.
§ 1º - Ordinárias são as Assembléias que se reúnem de 2 (dois) em 2 (dois) anos por ocasião dos Congressos Científicos.
§ 2º - Extraordinárias são as Assembléias convocadas pela Diretoria, pelo Conselho Deliberativo ou pelo menos por 1/5 dos Membros da Academia com direito a voto.
§ 3º - As Assembléias Gerais Ordinárias são presididas pelo Presidente da Academia.
§ 4º - O Presidente da Assembléia Extraordinária será eleito pela maioria dos Membros presentes à reunião quando o Presidente da Academia ou seu representante oficial estiverem ausentes.
§ 5º - As Reuniões Conjuntas entre a Diretoria e o Conselho Deliberativo que são realizadas durante os Congressos são presididas e secretariadas respectivamente, pelo Presidente da ABNc e pelo 1o Secretário da Diretoria.

Art. 34 - As Assembléias Gerais realizar-se-ão em 1a convocação, com pelo menos 2/3 dos Membros da Academia com direito a voto e em 2a convocação, com intervalo mínimo de 30 minutos, com qualquer número, ressalvadas as exceções previstas neste Estatuto.

Parágrafo único - A convocação dos órgãos deliberativos será feita na forma deste Estatuto, sendo garantido a 1/5 (um quinto) dos membros da ABNc o direito de promovê-la.

Art. 35 - A ABNc será representada ativa e passivamente em juízo ou fora dele por seu Presidente.

Art. 36 - As atribuições e o funcionamento dos órgãos de direção da ABNc bem como os encargos de seus membros serão regulamentados pelo Regimento Interno.

Art. 37 - As Assembléias Gerais são constituídas por todas as classes de Membros da Academia.
Parágrafo Único - Os Membros Aspirantes poderão participar das Assembléias Gerais, porém sem direito a voto ou a serem votados.

Art. 38 - São atribuições da Assembléia Geral Ordinária:
1) Tomar conhecimento do Relatório da Diretoria;
2) Discutir o Relatório de Diretores e Comissões;
3) Discutir e deliberar sobre a exclusão de Acadêmicos de acordo com o art. 15 do Estatuto;
4) Eleger o Vice-Presidente de Academia, obedecendo ao critério estabelecido no § 4º do art. 26 do Estatuto;
5) Dar posse ao Presidente e ao Presidente eleito;
6) Aprovar as contas apresentadas pela Diretoria;
7) Destituir os administradores;
8) Analisar e votar alterações do Estatuto;
9) Indicar, por meio do Conselho Deliberativo, os 3 (três) membros que irão compor o Conselho Fiscal.

Parágrafo único - Para as deliberações estipuladas nos itens 7 e 8, a Assembléia Geral deverá ter sido convocada especialmente para tal fim, obedecendo ao quorum previsto no artigo 34.

Art. 39 - A ordem do dia da assembléia Geral Ordinária constará de:

1) Abertura de sessão pelo Presidente da ABNc;
2) Leitura da Ata da Assembléia anterior, a qual poderá ser dispensada, de acordo com a maioria da Assembléia, se houver sido distribuída previamente copia da mesma aos Membros da Academia;
3) Discussão e votação da Ata da Assembléia Geral Ordinária anterior;
4) Análise e aprovação de Reforma Estatutária;
5) Relatório de Diretores e Comissões;
6) Assuntos gerais;
7) Eleição do Membro do Conselho Deliberativo cujo mandato houver terminado;
8) Eleição do Presidente Eleito;
9) Recepção e posse dos Novos Membros da Academia, aprovados pela Comissão de Seleção;
10) Posse do Vice Presidente;
11) Posse do Presidente;
12) Palavras do Presidente recém-empossado e indicação do 1o
Secretário e do Tesoureiro;
13) Convocação do Conselho Deliberativo e da Comissão de Seleção para a reunião final e preenchimento dos seus quadros, no que couber;
14) Encerramento da Assembléia.

§ 1º - A Assembléia será instalada à hora marcada, com a presença de 2/3 dos Membros da Academia, ou 30 minutos após com qualquer número de presentes.
§ 2º - Qualquer número de presentes constitui quorum satisfatório, ressalvadas as exceções previstas no Estatuto.
§ 3º A palavra é livre durante a Assembléia sendo vedado o diálogo; os apartes podem ser permitidos pelo orador, não podendo entretanto, se constituir em discursos paralelos;
§ 4º O Presidente deverá manter a ordem durante todas as discussões e poderá cassar a palavra do orador que deixar de cumprir o que está estabelecido no § 3º deste artigo;
§ 5º Os membros da mesa poderão fazer uso da palavra durante as discussões, deixando, quando o fizer, a sua posição oficial.

Art. 40 - Assembléias Gerais Extraordinárias são aquelas realizadas nos intervalos dos Congressos.
Parágrafo único - As Assembléias Gerais Extraordinárias são convocadas:
a) Pela maioria do Conselho Deliberativo;
b) Pela Diretoria;
c) Por 1/5 dos Membros da Academia.

Art. 41 - A convocação da Assembléia Geral Extraordinária será feita com antecedência mínima de 60 (sessenta) dias pelo Secretário Geral.
§ 1º- A convocação deverá declarar explicitamente os motivos da convocação e será assinada por seus autores.
§ 2º - Os motivos da convocação serão os únicos temas a serem discutidos na Assembléia.
§ 3º Abertura de sessão pelo Presidente da ABNc, caso o mesmo não esteja presente, o Presidente da Assembléia Geral Extraordinária será eleito pelos Membros presentes à mesma.
§ 4º - O Presidente da Assembléia deverá escolher o Secretário.

CAPÍTULO IV
DO CONSELHO FISCAL E DE PATRIMÔNIO

Art. 42 - O Conselho Deliberativo escolherá, por votação da maioria de seus componentes, o "Conselho Fiscal e de Patrimônio", formado por 3 (três) Membros.

§ 1º - O Conselho Fiscal e de Patrimônio terá mandato de 2 (dois) anos e será empossado durante a Assembléia Geral Ordinária.
§ 2º - Os componentes do Conselho Fiscal e de Patrimônio poderão ser destituídos de sua função por decisão devidamente fundamentada do Conselho Deliberativo que, após votar e decidir pela destituição, deverá indicar imediatamente o nome do substituto, nos termos do caput deste artigo.

Art. 43 - O Conselho Fiscal e de Patrimônio terá as seguintes atribuições:

a) administrar os bens patrimoniais da ABNc;
b) administrar os produtos originários das rendas da ABNc;
c) responder pela gestão administrativa da ABNc;
d) aprovar as contas a serem apresentadas pela Diretoria ao final do mandato, sobre a qual deverá emitir relatório.

Art. 44 - O Conselho Fiscal e de Patrimônio prestará contas anualmente de suas ações ao Conselho Deliberativo, que as deverá analisar e julgar.

CAPÍTULO V
DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 45 - Vagas que ocorram na Diretoria ou no Conselho Deliberativo serão preenchidas por indicação do Conselho Deliberativo até a Assembléia Geral seguinte.

Art. 46 - Os Membros de Comissões que se fizerem necessárias serão designados pelo Conselho Deliberativo, salvo quando de outra forma estiver especificado no Regimento Interno.

Art. 47 - O presente Estatuto entrará em vigor imediatamente após sua aprovação e só poderá ser reformado obedecendo às seguintes condições:

§ 1º - O presente Estatuto só poderá ser reformado mediante a apresentação de propostas assinadas por no mínimo de 3 (três) Membros Titulares e enviadas á Diretoria, através da Secretaria Permanente, com 30 (trinta) dias de antecedência para a Assembléia Geral Ordinária que ocorrerá durante os Congressos por qualquer meio de comunicação confirmada.
§ 2º - Estas propostas enviadas á Diretoria deverão ser imediatamente enviada para os membros do Conselho Deliberativo para análise.
§ 3º - Tendo recebido a aprovação de metade mais um dos Membros do Conselho Deliberativo, a proposta poderá ser apresentada no SITE, enviada por e-mail, carta ou mesmo constar nos informativos do Congresso e será votada na Assembléia Geral Extraordinária seguinte.
§ 4º - O presente estatuto só poderá ser reformado com a aprovação de metade mais um do número de membros presentes na Assembléia Geral Extraordinária.

Art. 48 - A dissolução da ABNc somente poderá ser decidida em Assembléia Geral pelo voto de três quartos da totalidade dos Acadêmicos com direito a voto e, nessas condições, seus bens e valores serão destinados a uma instituição congênere.

Art. 49 - A ABNc não remunera por qualquer forma ou pretexto seus dirigentes, seus Membros e seus mantenedores.

Art. 50 - Os sócios da ABNc não respondem subsidiariamente pelas obrigações contraídas em nome da Entidade.

Art. 51 - Todos os termos utilizados neste Estatuto que se referem a ele, eles ou Presidente devem ser interpretados igualmente como ela, elas ou Presidenta, respeitando o gênero, conforme se aplicar.

Art. 52º - Este estatuto aprovado, será adotado no próximo Congresso Científico da pela Academia Brasileira de Neurocirurgia e uma vez adotado, deverá conter a data de Novembro de 2005 - Campos de Jordão - São Paulo.

 

ACADEMIA BRASILEIRA DE NEUROCIRURGIA   

 

Última versão 26/07/2013

Voltar para página anterior
hidea.com - agência web
Copyright © ABNc - todos os direitos reservados